Posted in Fevereiro 2013

Meu tio Oscar.

    Em véspera de entrega do prêmio master do cinema americano, o mundo se agita. Mesmo porque já foi  a época que só filme americano levava as famosas estatuetas douradas chamadas de Oscar, diz a lenda, porque se pareciam com o tio Oscar de uma funcionária da academia de filmes de Hollywood. Antes, lá no … Continuar a ler

Al Pacino e eu.

E lá fui eu de ônibus até Higienópolis, bairro tradicional de São Paulo, bater na porta do consulado dos Estados Unidos. Entro e logo sou recepcionada por uma mulher que claramente estranha uma menina de uns treze anos sozinha buscando informações. – Pois não ? Posso ajudar ?  pergunta ela. – Olá. Eu preciso do … Continuar a ler

Fernando Sabino e eu

Houve uma época que não existia computador em casa. O que a gente ouvia falar era de um tal de cérebro eletrônico que ocupava uma sala inteira de um prédio nos Estados Unidos. Um monte de botões e luzinhas piscando, algo parecido com a nave espacial do seriado “Perdidos no espaço”. Hoje um email resolve com … Continuar a ler

O Fim.

No filme  “Simplesmente amor ‘ ( Love actually ), comédia romântica inglesa leve e despretensiosa, dessas engraçadinhas com final feliz para fazer chorar quem ainda acredita em finais felizes no amor, várias histórias misturadas levam à uma conclusão comum : o amor, este sentimento tão inexplicável e maluco, move o mundo. Mas chega um momento que o mundo tem que parar para que possamos nos movimentar e seguir um outro caminho . Como disse um dos personagem do filme que passou anos apaixonado e sofrendo pela mulher do amigo: ” enough “ . Atitude libertadora. Esta semana fechei uma … Continuar a ler