Posted in Agosto 2012

Cereja de chuchu.

 1850 noites sem dormir. Que tal lhe parece esse número  ? Absurdo, talvez. Pois lá se vão 1850 noites e algumas horas sem um sono tranquilo. Chego a temer o quarto, a cama, o escuro da noite. Quando o entardecer começa a dar seus primeiros sinais e o sol desaparece no horizonte do céu de Brasília, meu coração começa a querer doer. E luto contra qualquer ameaça de qualquer sinal que porventura possa interferir no meu sono. Mas não adianta. O pensamento vem como um pesadelo sem solução. Sem querer. E quando menos percebo lá estou eu, pensando. E se penso, existo. … Continuar a ler

O grande livro preto.

Fico pensando no dia que eu morrer. Vou chegar ao céu e ficar numa sala de espera cheia de recém chegados . Aos poucos vamos sendo chamados por um homem grande, vestindo uma túnica branca e com cara de poucos amigos. Ele chama pelo nome. Parece que sabe quem somos e que chegaríamos hoje. Quando sou chamada, sento à mesa. Do outro lado um funcionário celestial que também veste túnica branca confere meu nome e se levanta. Sai da sala e volta com um grande livro preto na mão. Começa a folhear as páginas e minhas mãos entrelaçadas suam. O que será que ele está avaliando ali ? Minha vida ? … Continuar a ler

Silêncio, por favor.

Que horas são ? Nossa, já ?? Caramba, dormi muito. Ai, ai. Que preguiça. Será que está sol ? Deixa eu ver. Se estiver vou para a piscina um pouco. Quero dar uma clareada no cabelo. Não tem pão. Será que ainda tem aquele biscoito de água e sal ? Tem. Nem tava a fim … Continuar a ler

Combinação.

Pai, vamos combinar uma coisa ? Na próxima encarnação você pede para ser meu filho. Vou procurar um pai bem bacana para cuidar de você . Se der errado, fique tranquilo, eu mesma cuido. Vou te dar uma família bem bonita, cheia de irmãos e irmãs. Todos vocês serão amigos e brincarão juntos no quintal de … Continuar a ler

Hoje é meu aniversário.

O que é ficar mais velha para você ? Lembro que quando criança sonhava com meus desesseis anos. Sempre acreditei que aos desesseis teria minha própria bolsa, meu próprio dinheiro e seria livre para andar de ônibus e ir onde eu bem entendesse. Quando comecei a andar de ônibus mudei de idéia rapidinho. Engraçada essa … Continuar a ler